Cartas a Lucílio

Escrevi sobre Séneca no brasileiro Jornal Opção:

“A humanidade vive em exagero. Os excessos cometidos pelo capitalismo de que Zizek fala no seu novo livro “Viver no Fim dos Tempos”, defendendo a ideia da “institucionalização da inveja”, ou quando o filósofo espanhol An­tonio Fornés disse que “trabalhamos mais do que um escravo romano” são indícios de que humanidade se lamenta dos mesmos defeitos quando vivemos no apogeu civilizacional. A ruptura parece ameaçar os sólidos pilares de uma civilização “evoluída”, como ameaçou o império romano de Séneca.”

Anúncios

Pobreza

“Não é pobre quem tem pouco, mas quem deseja mais.”

Cartas a Lucílio, Séneca